Processos Alternativos – cianotipia

voltar

Oficina de Cianotipia

20 de setembro | 10:30-14:30

A cianotipia é um processo de impressão fotográfica descoberto por Sir John Herschel em 1842, apenas 3 anos após o anúncio “oficial” da descoberta da fotografia. É feita à base de sais de ferro, que, expostos à radiação ultravioleta, produzem imagens permanentes numa elegante variação de matizes azuis.

Além disso, é um processo muito simples e que permite uma grande variedade de manipulações, tanto no que diz respeito à química como aos suportes utilizados.

A oficina inclui uma introdução histórica e técnica ao processo da cianotipia, a aprendizagem da produção de negativos digitais, a sensibilização dos suportes, exposição à luz UV e revelação.

Materiais (consumíveis e didáticos) incluídos.

Horário: 10:30 – 14:30

Número máximo de participantes: 4

Duração: 4 horas

Preço: 40 euros

Local: Rua 2 da Matinha, Lote A, 5º D, Lisboa

Formadores: Magda Fernandes e José Domingos

COVID-19

De forma a cumprir as orientações da Direção Geral da Saúde, e garantir ao máximo a segurança tanto dos participantes, como dos formadores, a Imagerie implementou uma série de alterações ao funcionamento normal das suas oficinas, tais como:

  • redução do número máximo de participantes para 4
  • promoção do distanciamento físico entre participantes
  • uso obrigatório de máscara
  • disponibilização de álcool-gel e de instalações para a lavagem adequada das mãos
  • desinfeção regular das superfícies mais manuseadas
  • fim dos lanches e almoços em conjunto na copa.

Oficina de Cianotipia + Viragens 

novas datas brevemente

| 10:30 – 14:30 | Inscrições |

A Cianotipia  é uma técnica de impressão do século XIX que consiste na utilização de uma mistura de químicos (que podem ser usados em diferentes concentrações para a obtenção de tonalidades e contrastes diferentes), e da sua consequente exposição a uma fonte de luz UV, para criar imagens em tons de azul impressas em suportes diferentes dos habituais.

Como desenvolvimento do processo de experimentação que se privilegia nesta oficina, utilizar-se-ão ainda algumas substâncias que permitem alterar quimicamente a tonalidade das imagens, num processo a que se dá o nome de “viragens”.

Estes processos sobreviveram ao passar do tempo, ao serem redescobertos e reinventados por fotógrafos e artistas visuais que, aproveitando as vantagens e comodidades dos nossos dias, os exploram para ir ao encontro de uma forma mais plástica, tangível e alternativa de imprimir as suas imagens. A extrema simplicidade técnica destes processos permite que qualquer pessoa, de qualquer idade, sem precisar de conhecimentos prévios em fotografia se possa deixar fascinar por estas formas de magia fotográfica.

Duração: 8 horas

Preço: 80 euros

Local: Rua 2 da Matinha, Lote A, 5º D, Lisboa

Formadores: Magda Fernandes e José Domingos

 

viragem1-web
viragem2-web