Processos Alternativos – Papel Salgado – Albumina

voltar

Oficina de Papel Salgado

18 de novembro | 14:00 – 19:00 | caos, Viseu 

A invenção deste processo, baseada numa série de descobertas científicas desenvolvidas por diversas personalidades ao longo de décadas, é atribuída a William Fox Talbot, por ter sido ele o responsável por compilar toda a informação e comprová-la através da experimentação, até obter um dos primeiros processos de impressão fotográfica da história.

O papel salgado alia o uso do sal e da prata, e  foi o método de impressão de positivos fotográficos mais popular desde a sua invenção até meados de 1860.

As imagens impressas em papel salgado podem ir de um castanho avermelhado a um cinza púrpura, e têm geralmente um aspeto suave, e pouco contrastado, impresso diretamente nas fibras do papel.

Duração: 5 horas

Preço: 60 euros

Atividade destinada a Público em Geral, a partir dos 16 anos

Local: casa d’artes e ofícios, Largo de S. Teotónio n.º 30, Viseu

Formadores: Magda Fernandes e José Domingos

ver  Oficina de Goma Bicromatada19 de novembro | 10:00 – 13:00 + 14:30 – 17:30 | caos, Viseu 

(inscrição nas duas oficinas 135 euros )


Oficina de Papel Salgado

Lisboa | novas datas a anunciar

Oficina de Albumina

Lisboa | novas datas a anunciar

 

Duração: 4 horas (por oficina)

Preço: 45 euros (preço por oficina)*

*inscrição nas duas oficinas 80 euros

Local: Rua 2 da Matinha, Lote A, 5º D, Lisboa

Formadores: Magda Fernandes e José Domingos

Estes processos fotográficos fazem parte de uma lista de técnicas desenvolvidas por diversos cientistas a partir do trabalho de investigação de William Fox Talbot e que, através do processo negativo-positivo tornaram a fotografia reprodutível, impulsionando ainda mais a sua democratização.
O processo do papel salgado é mais próximo das experiências originais de Fox Talbot, produzindo imagens mais suaves impressas nas próprias fibras do papel.
A albumina por sua vez, ao adicionar um preparado de claras de ovo ao papel, concede-lhe um acabamento mais brilhante que permite a melhor reprodução de detalhes, e um maior contraste.
Nestas oficinas juntamos o laboratório químico à cozinha, misturando sal, ovos e prata para produzir imagens tal como se fazia no século XIX.